Quarta-feira , Agosto 16 2017

Luke Aikins POV do salto a 25 mil pés sem paraquedas

Luke Aikins, o Norte-americano de 42 anos lançou-se de um avião a 25 mil pés (cerca de 7,620 metros) e aterrou numa rede no solo, tudo isto sem Paraquedas!

Sim leste bem, sem paraquedas! Luke Aikins alcançou uma velocidade de 193 quilómetros por hora no salto de durou dois minutos e caiu numa enorme rede de segurança instalada por vários metros no solo em Simi Valley

“Estou quase a levitar. É incrível”, declarou à televisão Fox, que transmitiu em direto o salto. “Todos sonhamos com voar”, acrescentou, após o salto realizado no sábado.

Luke Aikins é um paraquedista com 20 anos de experiência e que realizou cerca de 18 mil saltos.

“Se não estivesse nervoso, seria estúpido”, disse Luke Aikin ao The Guardian, dias antes de saltar. “Estamos a falar de saltar sem paraquedas e levo isso muito a sério. Não é uma piada”.

No local da “aterragem” foram realizados testes com manequins de 90 quilos, que decorreram com normalidade, embora um deles não tivesse acertado no alvo. Esperava-se que tal não acontecesse ao paraquedista, mas para prevenir qualquer incidente a Fox emitiu o salto com um ligeiro atraso, de forma a poder parar a emissão em caso de tragédia.

Este vídeo foi editado já depois do salto pelo próprio Luke, onde comenta todo o salto do inicio até à sua conclusão épica e cheia de comemoração!

Luke Aikins usou um GPS e quatro luzes na rede para mirar no local de pouso. A rede foi feita especificamente para desacelerar a queda enquanto ele caía sobre ela.

“A rede em si é feita de Spectra, um cabo de polietileno de alta densidade que tem o dobro da resistência do aço, mas também é completamente inelástico. Uma vez que a massa em queda livre de Aikins atingir a rede, quatro cilindros de ar comprimido – conectados à rede através de cordas e polias – desaceleram Aikins da mesma forma que você consegue pegar um ovo em sua mão, desacelerando-o suavemente ao longo de uma certa distância.”

Também houve outras precauções: como os níveis de oxigênio se tornam reduzidos com a altitude maior, Aikins usou uma máscara de oxigênio para o primeiro segmento da queda.
Além disso, a forma como os paraquedistas caem – braços e pernas abertos com o tórax voltado para o chão – desacelera a descida pela adição de atrito. Isso também ajuda as pessoas a manobrarem a queda. E há um elemento central da física nesta e em outras quedas: a velocidade terminal, na qual a resistência do ar é tão intensa quanto a força da gravidade – por isso, Aikins parou de acelerar depois de um certo ponto.
De fato, desde a década de 1940, treze pessoas sobreviveram a quedas longas: por exemplo, um piloto da Segunda Guerra Mundial caiu de 6.000 m de seu avião bombardeiro B-17 e bateu em uma estação de trem – os detritos ajudaram a amortecer o impacto, e ele sobreviveu.

Veja Também

Para-quedista Luke Aikins vai saltar de 25.000 pés sem para-quedas!

Luke Aikins é um para-quedista profissional com duas décadas de experiência e mais de 16.000 …